CASA Sri Aurobindo - Núcleo para o Livre Desenvolvimento da Consciência

A CASA Cursos Publicações Yoga Integral Biblioteca

EC18

INFORMAÇÕES

 

5. Kurukshetra (05)

A insistência de Nietzsche sobre a guerra como um aspecto da vida e o homem ideal como um guerreiro, - pelo homem-camelo ele pode começar e depois o homem-criança, mas o homem-leão ele deve se tornar entre os dois, se é para alcançar sua perfeição - essas teorias de Nietzsche, hoje muito desacreditadas, têm, embora possamos discordar de muitas das conclusões morais e práticas que ele extraiu delas, sua justeza é inegável e elas nos lembram de uma verdade que gostamos de afastar de nossa visão. É bom que sejamos lembrados disso; primeiro porque, vê-las, tem, para toda alma forte, um efeito tônico que nos salva da flacidez e do relaxamento encorajados por um sentimentalismo filosófico, religioso ou ético muito harmônioso, aquele que gosta de encarar a Natureza como amor e vida e beleza e bem, mas se afasta de sua máscara sombria da morte, adorando Deus como Shiva, mas se recusando a adorá-lo como Rudra; em segundo lugar, porque a menos que tenhamos a honestidade e a coragem de encarar a existência diretamente em sua face, nunca chegaremos a nenhuma solução efetiva de suas discórdias e oposições. Devemos, primeiramente, ver o que são a vida e o mundo; depois, podemos definir melhor a maneira correta de transformá-los no que deveriam ser. Se este aspecto repelente da existência contém em si algum segredo da harmonia final, devemos, ignorando-o ou depreciando-o, perder esse segredo e todos os nossos esforços para uma solução irão falhar por culpa de nosso auto-indulgente ignorar dos verdadeiros elementos do problema. Se, por outro lado, é um inimigo a ser derrubado, pisoteado, extirpado, eliminado, ainda assim não ganhamos nada subestimando seu poder e domínio sobre a vida ou recusando-nos a ver o quão firmemente ele está enraizado no passado efetivo e nos princípios operacionais atuais da existência.

Sri Aurobindo, Essays on the Gita, First Series - pg. 41

* * *

Auxiliando a humanidade (01)

Para aqueles que praticam o Yoga integral, o bem-estar da humanidade pode ser apenas uma conseqüência e um resultado, não pode ser o objetivo. E se todos os esforços para melhorar as condições humanas fracassaram miseravelmente no final, apesar de todo o ardor, entusiasmo e autoconsagração que eles inspiraram primeiro, é precisamente porque a transformação das condições da vida humana só pode ser alcançada por outra transformação preliminar, a transformação da consciência humana ou pelo menos de alguns indivíduos excepcionais capazes de lançar as bases para uma transformação mais ampla. Mas devemos voltar a este assunto mais tarde; isso constituirá a nossa conclusão. Antes de tudo, quero falar sobre dois exemplos impressionantes tomados dos adeptos da verdadeira filantropia. Dois seres excepcionais nos dois extremos de pensamento e ação, duas das melhores almas humanas que se expressam em corações sensíveis e compassivos, receberam o mesmo choque psíquico quando entraram em contato com a miséria dos homens. Ambos dedicaram toda a sua vida a encontrar o remédio para o sofrimento de seus semelhantes, e ambos acreditavam o ter encontrado. Mas porque suas soluções, que podem ser descritas como contrárias, estavam em seu próprio domínio incompletas e parciais, ambas não conseguiram aliviar o sofrimento da humanidade

A Mãe, On Education, pg. 95

▪ CASA Sri Aurobindo - Rua Senhora das Graças, 16 sala 110 - Cruzeiro ▪ Belo Horizonte - MG ▪

EC18

Início | A CASA | Cursos | Publicações | Yoga Integral | Biblioteca

casa_sri_aurobindo@yahoo.com.br
CASA Sri Aurobindo © 1996 - 2016